A serenidade no ato de educar

Educação Intensiva – Consolidando o aprendizado.
Março 22, 2018

A serenidade no ato de educar

Vivemos em um mundo, onde tudo acontece no “agora”, a informação acontece segundos depois de um fato ocorrido, e as incertezas do amanhã percorrem nossos pensamentos, de forma a nos deixar preocupados e estressados, e isso acaba por muitas vezes afetando aquilo que temos de mais precioso, o relacionamento com nossos filhos, uma vez que ficamos sem a serenidade necessária para refletir e admoestar nos momentos necessários, agindo por muitas vez com sentimentos de raiva, e piorando uma situação, que poderia ter sido controlada com mais calma.

Em muitos casos, uma atitude descontrolada por parte dos pais, acaba por tornar os filhos sem paciência, sem afeto e agressivos. Ao perceber isso, é preciso ligar o “alerta vermelho” e ter Serenidade.

Serenidade é uma palavra, que vem do latim ;  serenitas, de serenus, calmo, tranquilo, claro,  tem como significado, aquilo que é lúcido, tranquilo, resiliente  em situações adversas da vida.

Quem se mantém sereno e domina a si mesmo inspira respeito aos outros. E é deste respeito que lhe vem essa autoridade moral para corrigir quando é necessário.

A admoestação, para ser eficaz, necessita de um momento adequado e de palavras oportunas que ajudem de verdade. O objetivo da repreensão não é demonstrar um autoritarismo frio, mas sim, fazer com que o filho compreenda o que fez de errado, e reflita na sua má conduta.

Desta forma, é necessário ter sensibilidade para pensar no que se vai dizer, procurar o momento oportuno e conversar com bastante ternura, para que o filho entenda que quem o esta repreendendo, é o ser humano que mais lhe ama neste universo, fazendo com o que nessa interação, possa-se concretizar a reflexão do filho.

Logo, Pais, agindo com serenidade, estamos agindo com sabedoria, e sendo sábios, nossos filhos serão espelhos refletidos de nossas próprias atitudes.